terça-feira, 9 de setembro de 2014

Dimensionamento cuidadoso e execução correta garantem instalação elétrica de qualidade

Instalações elétricas mal feitas estão entre as principais causas de incêndio no Brasil, segundo estatísticas do Corpo de Bombeiros, que apontam também que 20% das vitimas desses acidentes não sobrevivem. O risco se torna maior quando uma instalação é feita sem planejamento, material ruim e por pessoas não habilitadas.
Como acontece com todas as partes de uma construção, a primeira coisa que se deve fazer é planejar como será a instalação elétrica, o que deve ser feito por profissionais qualificados, com conhecimento prático e teórico, e em função da finalidade da obra. Durante a execução, deve-se igualmente contratar bons profissionais, que sigam o projeto e, quando este tiver alguma falha, que contate o projetista e peça a devida correção, evitando de corrigir por conta própria porque “Estes engenheiros não sabem nada da prática da coisa...”

Importante ressaltar que os materiais utilizados devem ser de qualidade, confeccionados dentro das determinações das normas técnicas. Se esta determinação não for seguida, de pouco adiantará o dimensionamento feito pelo projetista. Materiais de má qualidade afetam a segurança e o desempenho da instalação, por mais simples que seja. Somente eletricistas habilitados possuem a formação necessária e conhecimento da norma NBR 5410, que específica as instalações elétricas de baixa tensão, sendo capazes de executar o serviço corretamente e tirar o máximo de desempenho e durabilidade que cada material pode oferecer.

Erros mais comuns:

A inexperiência ou falta de conhecimento leva a diversas situações de risco e mau desempenho da instalação. Alguns dos erros mais comuns: Sobrecarga dos circuitos,
• Utilização de condutor elétrico de seção nominal inferior à necessária,
• Ligar em um mesmo disjuntor dois aparelhos que exijam circuitos individuais, como chuveiros e torneiras elétricas
• Trocar o chuveiro por um mais potente sem verificar se a instalação elétrica suporta a potência do novo produto
• Utilização tomada em chuveiros e aquecedores elétricos que exigem ligação direta, Esses problemas são decorrentes, principalmente, da falta de habilitação do profissional responsável pela instalação e desconhecimento do proprietário do imóvel que, preocupado em gastar menos, deixa de prestar atenção à execução e posteriormente deixa de levar em conta a tão necessária manutenção periódica das instalações.

O dimensionamento correto estabelece a carga necessária para a instalação de cada grupo de aparelhos, por exemplo, tomadas e pontos de luz, chuveiros, aparelhos de ar-condicionado, ferro elétrico, máquina de lavar e microondas.

É importante também saber quais equipamentos elétricos de maior consumo serão ligados, para determinar circuitos exclusivos para eles e utilizar dispositivo diferencial residual (DR) onde houver contato com água; chuveiros, banheiras, secadoras de roupa, entre outros, são alguns pontos de atenção. A idéia é proteger o usuário de choques que podem ser fatais ou, no mínimo, muito desagradáveis.

Procedendo assim, os aparelhos funcionarão melhor, o consumo de energia ficará dentro do esperado, sem sustos, e a instalação vai durar por muitas décadas, sem problema algum.

Instalações auxiliares

As instalações elétricas são as que mais trazem perigo para a edificação, mas é importante planejar também as outras instalações eletro-eletrônicas, como telefone, televisão, interfone, computador e segurança.

Atualmente, estas instalações são de suma importância e precisam, mais do que nunca, de um bom planejamento. Muitas delas exigem tubulações exclusivas, enquanto que outras podem compartilhar a mesma tubulação mas, seja como for, é preciso planejar pois serão MUITOS tubos a serem passados, muitas caixinhas a serem colocadas e, além disto, os aparelhos como central telefônica, acesso à internet e dispositivos de televisão e segurança precisarão também de alimentação elétrica e circuitos de proteção contra raios.

Nas instalações onde se fez a previsão correta para todos estes dispositivos chama a atenção a quantidade de caixas de ligação que ficam pela casa, cada cômodo tem 10 ou mais caixinhas entre luz, tomadas, interruptores, televisão, telefone, internet e alarme. Assim, é comum o proprietário escutar uma gozação dos desavisados, coisas como:

-- “Puxa, o que vai ser aqui? um hotel? Para que este exagero de tomadas?”

Se isto acontecer contigo, não se importe. Com um projeto arquitetônico e elétrico corretos e bem executados, uma residência assim planejada vai ficar livre dos “benjamins” e extensões no chão, que além de serem anti-estéticos dificultam a limpeza e higiene dos cômodos.

Estas instalações auxiliares deixaram há muito de ser luxo, é uma necessidade da vida atual e fica muito mais barato executá-las durante a construção do que tentar remediar mais tarde.

Fonte: http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=28&Cod=110

Nenhum comentário:

Postar um comentário